http://vinhoegastronomia.com.br/userfiles/93e048c28deae8015adbfe8c96fbefa9.jpg


Promoções

http://vinhoegastronomia.com.br/userfiles/434f3e7f97922e2f13bb52752bc86f56.jpg








Enoblogs - blogs unidos pelo vinho

De Martino, single vineyards elegantes que se bebem com prazer

Por Bruno Airaghi com Silvia Cintra Franco

 

 

Vinhos de um único lote, sem padronizações, sutis e finos. Puro prazer!

 

 

A De Martino faz hoje vinho de Novo Mundo no estilo elegante, sutil, de muito prazer, mais próximo do Velho Mundo. É dizer, vinho menos tânico, magro, elegante, fino, fresco e gastronômico. Uma vinícola sutil, como declara o crítico britânico Hugh Johnson em seu Pocket Wine Book 2015, e lhe confere 3 estrelas nas quatro possíveis. 

 

 

Comprove com os Single Vineyards da safra 2011 que a Decanter, importadora da De Martino, traz. 

 

 

O enólogo Marcelo Retamal fez a apresentação desta linha que já vem sendo adotada há poucos anos pela De Martino.

 

 

A De Martino, vinícola 100% familiar, com esta linha de vinhos  pretende mostrar a constante busca por  um estilo que sintetize a própria bodega, um estilo que se constrói através de 3 componentes:

 

sentido de lugar, 

pureza e

essência gastronômica. 

 

 

A De Martino acredita nos princípios da agricultura orgânica com uso de leveduras indígenas, barricas usadas  e foudres austríacos de 5.000 lt.

 

Por principio respeitam a essência de cada um dos vinhedos nos quais trabalham e desta feita os vinhos da colheita 2011, resumem o trabalho de anos  e o estilo que melhor os representa.

 

Conclusão

- busca pela melhor expressão do terroir , esta á a filosofia marcante dos Sigle Vineyards.

- em 2011 a decisão que culmina por definir o estilo da De Martino, saindo do standard, do padrão comum

-utilização dos fudres de madeira c/ 5000 L. O carvalho tem um impacto menor, porém contribui para um estilo moderno, leve, agradável, que facilita o consumo e o prazer de degustar.

 

 

 

 

Notas de degustação 

 

 

1. Quebrada Seca 2011

100% Chardonnay

D.O Limarí

Alcool :13,6%

Cor amarelo palha , limpo , notas herbáceas , corpo médio , floral .

A boca é tomada por abacaxi maduro, mel , com bom frescor , fino e elegante , levemente salgado ( a distancia do Oc. Pacifico é de somente 25 km). Bom vinho 89/100

RP (WA)=> 93 pontos; Descorchados 2014=> 95 pontos

R$ 131,00 na Decanter

 

 

 

2 .Parcela 5  2011  

100% Sauvignon Blanc

DO Casablanca

Álcool:13.3%

Cor amarelo claro clássico, translucido , limpo

Boca um cítrico bem atuante , fresco , boa acidez tudo certinho no equilíbrio, longo no seu final.

Um mineral floresce, por conta do solo com base de granito como também o vinhedo que se encontra na zona mais fria do vale de Casablanca .Elementos que fazem deste vinho um dos melhores da serie. Nota 90/100

RP(WA)=> 92 ptos.; Descorchados 2014=> 94 ptos.

R$131,00

 

 

 

3. Carmenere Alto De Piedras 2011

100% Carmenere

D.O. Maipo

Alcool 12,8%

Cor bonita rubi brilhante, corpo médio , exala frutas maduras , vegetal , vinho amplo.

 

Equilibrado entre acidez e álcool , a guarda de 2 anos em fudres de madeira , contribuiu para

esta fineza e elegância.Nota : 90/100

RP(WA) =>91 pontos;  Descorchados2014=> 94 pontos

 R$131,00

 

 

 

4. Las Águilas 2011   

100%Cab. Sauvignon

DO Maipo

Alcool:13,7%

De ruby intenso , vivo.Fermentado em tanques pequenos e com guarda de 2 anos em fudres de madeira , fazem a diferença , além claro do vinhedo localizado aos pés da Cordilheira Costeira .Solo com abundante rocha vulcânica e raízes profundas ( 2,5 m).

Taninos firmes mas gentis , o pimentão não aparece tanto , chocolate e tabaco.Elegante , gastronômico,longo no final.

Nota 92/100

Descorchados=> 95pontos

 R$131,00

 

 

 

5. Las Cruces 2011

75% Malbec, 25% Carmenere

D.O Cachapoal

Alcool 13,7%

Pequeno vinhedo na Cordilheira Costeira , setor de Pichidegua.

Datado de 1956 em solo predominantemente de granito

Ruby intenso na tonalidade,na boca um ligeiro álcool, contudo acidez e taninos equilibrados.

Frutas negras,cravo, pimenta aparecem num contexto bem harmonizado, agradável.Nota 90/100.

RP=> 93 pontos; Descorchados2014 =>95pontos

 R$ 131,00

 

 

 

6.Limávida 2011  

85% malbec  e 15% entre Carmenere/Cab.Sauvignon

D.O Maule

Alcool 13,7%

Plantado 1945 não tem irrigação, solo de granito também na Codilheira da Costa.

Uma safra de temperaturas levemente mais frescas. Uso de fudres por 2 anos.

Uma cor de um ruby intenso, notas de herbáceo , toque de chocolate, macio , uma feliz combinação de uvas  . Um belo single Vineyard.    Nota 92/100 

RP(WA)=>93pontos; Descorchados2014=>95 pontos

R$131,00

 

 

 

7. Vigno 2011        

85% Carignan e 15% Malbec /Cinsault

D.O Maule

Alcool 13,7%

Vigno , o próprio Marcelo arrisca em dizer que no futuro este pode ser um DOC do Chile .

Um vinho completo , com boa fruta , mineral a madeira está lá sem interferir no conjunto harmônico . Vinho de perfil gastronômico ( carnes).Rotulo bem desenhado ressalta o VIGNO,

o que desperta nossa curiosidade em experimentar.Bom vinho .Nota  90,5/100

RP(WA)=> 95 pontos; Descorchados 2014=> 95 ptos.

R$131,00

 

 

 

8.Alto Los Toros 2011      

90% Syrah 10% Petit Verdot

D.O Elqui

Alcool 13,8%

Vinhedo Parrón Elquino ( sistema de condução local que protege as uvas do Sol).

Plantado em 2005 , altitude 2000 m.Cordilheira dos Andes, rocha de granito.

Região tem um céu dos mais limpos do mundo ( imaginem) por isso a radiação solar é importante.Em 2010 as nevascas foram fundamentais pois asseguraram as reservas de água  para a zona .

 

A vivacidade da cor rubi chama  atenção na taça.

Um nariz complexo, aromatico , sobressai frutas maduras ,herbáceo. Preenche bem na boca com boa acidez, ressaltando aromas de alcaçuz, couro e chocolate. 

Elegante e gastronômico , um clássico. Nota 91/100

RP(WA)=> 91ptos; Descorchados2014=>95ptos.

R$131,00

 

9. Late Harvest  2005 Limited Edition Semillon

De amarelo intenso com 14,5% de álcool , doce regular , agradável acompanhou bem churros com doce de leite .Nota 92/100

R$ 70,00

 

 

Marco Antonio De Martino revela no vídeo (realizado em 2013) que resolveram radicalizar: nada de ácido tartárico (para dar acidez às uvas ultra maduras), nada de leveduras adquiridas em mercado, nada de barricas novas para os tintos, nada de superar 13,50% de álcool,  mas,sim, leveduras nativas e foudres para os vinhos tops. 

 

Vale a pena comprovar o prazer de se poder beber (com moderação e sem dirigir) uma segunda taça!

 

 





Sobre o vinho e gastronomia Anúncie Segurança e Privacidade Trabalhe na V&G Comunicar Erros Redes Sociais Fale Conosco