http://vinhoegastronomia.com.br/userfiles/93e048c28deae8015adbfe8c96fbefa9.jpg


Promoções

http://vinhoegastronomia.com.br/userfiles/0ebfed7b22d146d4cabdd13b7eb9dafc.jpg








Enoblogs - blogs unidos pelo vinho

Guaspari Syrah Vista do Chá, belo vinho paulista. Paulista?!

Um tinto complexo, mineral, potente do Espírito Santo do Pinhal.  A nova fronteira brasileira!

 

 

Guaspari Syrah, Vista do Chá 2011 é um bom vinho paulista. Paulista?! Pois, sim, paulista, e estejam certos, a nova fronteira vinícola brasileira. 

 

 

Ao degustá-lo, vê-se que São Paulo não é só a terra do café (porque a da garoa, com certeza não é mais), mas tem potencial para ser a do vinho! 

 

 

A Serra Gaúcha que se cuide! E se cuide, porque a família Guaspari lá de Espírito Santo do Pinhal tem o senso paulista de empreendimento: em vez de perder tempo e energia para reinventar a roda, chamaram para trabalhar seus vinhos o português Paulo Macedo, agrônomo sênior que trabalhou durante os últimos 12 anos no grupo Symington; como diretor de enologia o americano Gustavo Gonzalez que trabalhou durante 17 anos com Robert Mondavi fez parte do time responsável pela produção do “Masseto” e também na Tenuta dell’Ornellaia, na Toscana; o enólogo responsável pelo vinhedo, o chileno Cristian Sepúlveda com passagem pelas vinícolas Emiliana, Concha y Toro, Carmem, Santa Rita e La Calina, no Chile; Kendall Jackson, nos Estados Unidos; Châteaux Mas Neuf, no Vale do Rhône (França); e Miolo, no Vale dos Vinhedos (Brasil).

 

Aliás, algo a se lamentar na vinicultura brasileira é o fato de que poucos enólogos brasileiros viajam para trabalhar e ganhar experiência na Nova Zelândia, Bordeaux, Borgonha, Itália etc. Enquanto o Uruguay - que deu nos últimos anos um salto de qualidade enorme porque passou a enviar sua nova geração para ganhar experiência e conhecimento - o Brasil fica, de modo geral aqui mesmo, reinventando a roda, resistindo a consultorias, melhorando a qualidade devagar quase parando.

 

 

Para exemplificar basta comparar o Viognier da Campos de Cima de 2013, razoável, e o 2014 já sob a orientação do winemaker francês Michel Fabre que trabalhou desde os vinhedos e podas no campo até a prática na cantina. A alteração de qualidade foi tanta que valeu o artigo aqui publicado: quem te viu, quem te vê.

 

 

Vinho & Gastronomia foi convidado diversas vezes para conhecer a vinícola Guaspari e seus vinhos, uma vinícola moderna com equipamentos de última geração. Infelizmente não pudemos ir, mas depois de muita insistência conseguimos comprar o Guaspari Syrah, Vista do Chá 2011 para avaliar. Um bom vinho e, com o espírito paulista de empreendimento, é uma questão de tempo para que os vinhos de São Paulo se destaquem. 

 

 

Notas de degustação

 

Guaspari Syrah, Vista do Chá 2011

Espírito Santo do Pinhal, SP,  Brasil

100% Syrah, 14%

 

Rubi violáceo em taça.

 

Aromas de cacau, frutas negras,  humus, couro. Complexo.

 

Em boca, frutado, potente, taninos finos. Mineral. Boa persistência.

 

Decantar antes de servir.

 

Um belo syrah equilibrado e delicioso. E parabéns à Vinícola Guaspari

 

R$129 na Rouge Brasil - www.rougebrasil.com tel. (11) 3887-4444.

 

Para saber mais

 

Sobre a Vinícola Guaspari

 

A Vinícola Guaspari nasceu do sonho de produzir um vinho brasileiro de altíssima qualidade e que seja motivo de orgulho para o País. O projeto teve início em 2006, quando foram plantadas as primeiras videiras em uma antiga fazenda de café na região de Espírito Santo do Pinhal (no Estado de São Paulo). Foram escolhidas variedades francesas, selecionadas pelas características do terroir. Dois anos após o primeiro plantio, a vinícola foi construída; e o primeiro vinho foi produzido ainda de maneira artesanal.Os ótimos resultados alcançados reforçaram o potencial do projeto e motivaram a empresa a trazer o havia de melhor no mercado mundial. Especialistas reconhecidos do Brasil e do exterior foram envolvidos desde o início na escolha dos caminhos mais adequados. Gradualmente, a área de plantio veio sendo ampliada, chegando hoje a 50 hectares. Os vinhedos foram divididos em 12 terroirs distintos, demarcados em função da especificidade dos microclimas existentes para expressar toda a qualidade e tipicidade de cada uva (Syrah, Pinot Noir, Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon, Merlot, Sauvignon Blanc, Chardonnay e Muskat). Uma das grandes inovações do projeto da Vinícola Guaspari é a transferência da safra para o inverno, quando a amplitude térmica, a insolação e a ausência de chuvas são semelhantes às das grandes regiões vinícolas do mundo. Cada estágio do ciclo de vida das parreiras recebe o meticuloso cuidado de profissionais capacitados por técnicos experientes vindos de Portugal, Estados Unidos, Chile e Austrália. O projeto arquitetônico preservou o estilo das antigas fazendas de café da região, integrando cultura e estética locais. O respeito ao seu entorno se estendeu às preocupações ambientais, como o cuidado com a água e com todas as formas de vida.

 

Agrônomo Sênior – Paulo Macedo

O português Paulo Macedo, agrônomo sênior, vem dedicando toda a sua vida às parreiras do Vale do Douro (Portugal). Trabalhou durante os últimos 12 anos no grupo Symington, que engloba as marcas Dow’s, Graham’s e Quinta do Vesúvio, entre outras. Fez parte do time responsável pela produção do Dow Vintage Port 2011 (99 pontos) e Prats & Symington Douro Chryseia 2011 (97 pontos), de acordo com a seleção da “Wine Spectator” (2014). “A atenção ao detalhe, na implantação e no manejo de um vinhedo, é um dos principais fundamentos para um parreiral saudável e boas safras.”

 

Diretor de Enologia – Gustavo Gonzalez

Diretor de enologia da Guaspari desde 2011, o americano Gustavo Gonzalez trabalhou durante 17 anos com Robert Mondavi e também na Tenuta dell’Ornellaia, na Toscana, onde fez parte do time responsável pela produção do “Masseto” 100 pontos. “A vinícola utiliza 100% de barricas de carvalho francês, muitas delas importadas para o Brasil pela primeira vez, especificamente para esse projeto”.

 

Enólogo - vinhedo – Cristian Sepúlveda

Enólogo responsável pelo vinhedo, o chileno Cristian Sepúlveda é engenheiro agrônomo formado pela Universidad de Chile. Tem passagens pelas vinícolas Emiliana, Concha y Toro, Carmem, Santa Rita e La Calina, no Chile; Kendall Jackson, nos Estados Unidos; Châteaux Mas Neuf, no Vale do Rhône (França); e Miolo, no Vale dos Vinhedos (Brasil). “Eu acredito muito no potencial dessas uvas para fazer vinhos de grande qualidade.”

 

 





Sobre o vinho e gastronomia Anúncie Segurança e Privacidade Trabalhe na V&G Comunicar Erros Redes Sociais Fale Conosco