http://vinhoegastronomia.com.br/userfiles/93e048c28deae8015adbfe8c96fbefa9.jpg


Promoções

http://vinhoegastronomia.com.br/userfiles/0ebfed7b22d146d4cabdd13b7eb9dafc.jpg








Enoblogs - blogs unidos pelo vinho

Vinhos de terroir na América do Sul?

 

Clos des Fous e Zuccardi em busca do terroir por descobrir!

 

Por Silvia Cintra Franco

 

A Borgonha levou só dois mil anos para descobrir as melhores cepas e as melhores parcelas de seu terroir. E lá vem dois sul americanos com a pretensão de descobrir os melhores terroir no Chile e na Argentina em poucos anos!

 

Os desbravadores são o chileno Pedro Parra, conhecido como o doutor terroir, e o argentino Sebastián Zuccardi. Eles estiveram na semana passada entre nós, a convite da Ravin, sua importadora para apresentar vinhos de terroir.

 

Clos des Fous

 

Clos de Fous é uma reação contra tudo. Busca a pureza do Terroir e que os vinhos tenham caráter para que se notem as rochas, a pedra. Daí a mineralidade.

 

São vinhos frescos, minerais e fáceis de beber, mas com caráter e personalidade. Pedro Parra e sócios não estão interessados em notas, mas em fazer vinhos para quem gosta de vinhos.
 

O nome em francês quer dizer louco ou estúpido, porque lhe disseram no Chile que era louco de fazer este projeto e que ele deveria morar em Santiago. Parra vive em Concepción a 500 km de Santiago, onde também nasceu toda a viticultura do Chile.

 

Pedro Parra que estudou enologia na Borgonha sabe da importância do terroir para quem quer fazer vinhos com caráter e personalidade. E tem mais, ele ainda quer que seus vinhos sejam fáceis de beber e de pagar! Não sem razão batizou sua vinícola, dele mesmo, como Clos des Fous, dos loucos! E como ele mesmo diz que uma vinícola para dar certo pede quatro sócios que saibam o que estão fazendo cada qual em sua área, uniu-se a Albert Cussen (comercial), Paco Leyton (viticultura) e François Massoc (enólogo).

 

 

O trabalho que eles vêm desenvolvendo é tão bom que faz parte de matéria da Decanter (março 2013) “Chile’s Real trailblazers” sobre as vinícolas realmente pioneiras no Chile. A Decanter não poupa elogios para o Clos des Fous Pinot Noir 2010 de Traiguén. Um belo pinot noir do Novo Mundo com sotaque de Borgonha. Puro prazer!

 

A proposta é fazer o melhor Pinot Noir do Chile com um olho na Borgonha e o Clos des Fous Pinot Noir 2010 de Traiguén acerta na mosca!

Os vinhedos são próprios, alguns com plantas velhas e sem rego de 50 a 70 anos. A bodega é, por enquanto, alugada em Cauquenes, perto de Concepción.

“O Terroir é o clima e os solos são geologia com desenvolvimento de raízes e sem irrigação. E a ideia é fazer  vinhos honestos de terroirs e fáceis de tomar”, declara Parra.


 Notas de degustação


1. Pinot Noir Paleozóico 2011 !!!+
Areias do,mar, antigas dunas marinhas que formaram uma areia de calcáreos dura. Portanto 400 milhões anos atrás.  Aromas intensos de pinot noir. Toda a tipicidade da Pinot Noir. Húmus, mineral, especiarias. Taninos e adstringência aparentes, mas muito agradáveis e com muito caráter, muito mineral, dá para sentir os milhões de anos.  Uma beleza! Muito fino e elegante. R$75 na Ravin.



2. Pinot Noir Pucalan Single Vineyard 2012 !!!+

Para quem ama vinhos mais potentes e raçudos. O único que segue vivo na taça depois de duas horas. Vinhedos de Alto Cachapoal de pedras redondas em 4 hectares.
Aroma inicialmente mais fechado onde sobressai o tabaco. Menos impactante no palato e no nariz do que o Pinot Noir Paleozóico 2011. Mas com longa persistência, acentuado retrogosto. Uma maravilha! Muito equilibrado e muito fresco. Ele cresce na taça para tornar-se mais amplo e generoso em boca. Saboroso também. Um pinot noir chileno com sotaque de Gevrey Chambertin. R$75 na Ravin.



3. Pinot Noir Latuffa Traiguén 2010 !!!
Vinhedos mais velhos, biodinâmico. Aroma fechado ainda. Muito fino e delicado. 24 meses de carvalho novo. Decantar e deixar abrir na taça. Caráter, vivacidade. Nervoso em boca. Muito jugoso como dizem os espanhóis.

4. Cabernet Sauvignon Grillos Cantores 2010 !!!+
Aromas. Chocolate, frutas,. Em boca finesse, belos taninos. Um vinho singular e um cabernet sauvignon que nem parece do Chile de tão bom e sem piracina ou goiaba... Sem madeira. R$60



5. Cabernet Sauvignon Grillos Cantores 2011
Está mais marcado e ainda meio duro. Simples e sem madeira.



6. Old Vines Blend Cauquenina 2011 !!!+
Malbec, syrah, carignan, carmenere, paes. O coração é a carignan além das castas paes e português bleu. Blend de vinhas velhas entre 50 e 100 anos.
Frutas no nariz. Muito elegante em boca, pura finesse e singularidade!
Fresco, mineral. Caráter em boca e belo retrogosto.

 

Aluvional de Zuccardi
 

Sebastián Zuccardi é o primogênito e o enólogo responsável da Zuccardi. Convenceu o pai e a família Zuccardi de que valia a pena ir em busca do terroir mendocino. Resultado deste garimpo de solos e microclimas é o Zuccardi Aluvional La Consulta e o Zuccardi Aluvional Altamira, para citar dois.

 

As calicatas


Enquanto a Borgonha já classificou e conhece todos os seus terroirs, no Novo Mundo, Chile e Argentina, começam este trabalho com as chamadas calicatas. As calicatas são cortes do terreno para observação e estudo de solo.



Sebastián Zuccardi trabalha hoje com projetos de micro terroir no Vale de Uco, os Polígonos Malbec.
 


Em Mendoza a cordilheira faz a diferença e a altitude é o principal fator de diferenciação. São vinhedos entre 600 mts e 1500 mts sobre o nível do mar. E a Malbec precisa de altura. Entretanto, o que limita a plantação de vinhedos é a água disponível.


As zonas cultivadas estão ao redor dos rios. O rego é por goteo por 3 horas e abundante e depois deixam de gotear por quinze dias.


O solo é o aluvional de pedras que vieram rolando desde os Andes, por isso são redondas.
 

Notas de degustação

Vinhos potentes com grande estrutura tânica.


7. Emma Zuccardi Bonarda 2010
Fruta madura e encorpado. Mas elegante. R$ 180 e em promoção por R$140 na Ravin.



8. Zuccardi Zeta 2009 !!!
Chocolate, fruta madura, macio em boca, geleia e fruta decadente, mas muito saboroso e com muito chocolate amargo belga... Mineralidade. Elegante. Malbec, CS e tempranillo. Solo do vale de Uco e de Gualtallary. R$248


9. Zuccardi Aluvional La Consulta 2008 !!! Para quem ama vinhos raçudos e com muito sabor.
Chocolate, frutas maduras, intenso e gordo no nariz. Amplo e generoso em boca. Muito jugoso e com acidez de dar água na boca. Caráter e elegância. R$480


10. Altaneira  Super Calcáreo Malbec 2012 !!!+
Mineral, fruta interessante. Finesse em Malbec. Singular e com muito caráter. Um vinho com camadas e sutileza.


11. Altaneira Calcareo Arcilloso Malbec 2012
Mais encorpado, e menos sutil. Macio em boca e com muita cor e fruta e chocolate e madeira em boca.


12. Zuccardi Aluvional Altamira 2011 !!!+
Fruta muito madura. Chocolate. Macio, sedoso, amplo em boca. Boa acidez, equilíbrio e harmonia em vinho complexo, denso e que se expandem em boca. Passa 50 dias de maceração e pigeage. E 20 meses em carvalho francês.

 

É fantástico que estes pioneiros saiam mesmo em busca do terroir por descobrir. E vale a pena provar da mineralidade e singularidade destes belos vinhos cheios de caráter e personalidade. Na Ravin, você pode adquirir on line ou por telefone (11) 5574-5789.

 

Vinhos de terroir na América do Sul? 
Vinhos de terroir na América do Sul?
Array
Vinhos de terroir na América do Sul?
Array
Vinhos de terroir na América do Sul?
Array
Vinhos de terroir na América do Sul?
Array
Vinhos de terroir na América do Sul?
Array
Vinhos de terroir na América do Sul?
Array
Vinhos de terroir na América do Sul?
Array
Vinhos de terroir na América do Sul?




Sobre o vinho e gastronomia Anúncie Segurança e Privacidade Trabalhe na V&G Comunicar Erros Redes Sociais Fale Conosco