http://vinhoegastronomia.com.br/userfiles/93e048c28deae8015adbfe8c96fbefa9.jpg


Promoções

http://vinhoegastronomia.com.br/userfiles/67dd6359d5ca9d6d89ab39f98880b956.jpg








Enoblogs - blogs unidos pelo vinho

Alentejo, eleita pela USA Today, como a melhor do mundo para visitar

Por Edecio Armbruster com Silvia Cintra Franco

 

 

 

São Paulo sediou recentemente (15/9/14) a prova ‘Vinhos do Alentejo’, com degustação de rótulos de umas mais tradicionais e premiadas regiões vitivinícolas de Portugal.

 

 

V&G esteve alguns anos atrás no Alentejo. Vale pelos resorts, por Évora, pelas paisagens e pelos vinhos.  

 

 

Salazar, o ditador, havia determinado que o Alentejo se tornasse o celeiro de Portugal e muitos vinhedos foram arrancados. Com a revolução dos Cravos e com o tempo, Alentejo retoma sua vocação, aquela que a sua própria gente determina e vem se modernizando e fazendo belos vinhos!

 

 

Da degustação exclusiva, V&G destaca:

 

O Cortes de Cima Tinto 2011

Um corte ou como os portugueses chamam "vinho de lote", de Syrah, Petit Verdot, Aragonês e Touriga Nacional. 

Vinho de madeira discreta com toques de menta e defumado, leve floral e especiarias. 

Longo na boca, com taninos presentes mas agradáveis, final de boca bem sêco com discreta fruta. 

É um vinho que pede comida. Interessante que os donos da Vinícola não são portugueses mas são apaixonados pelos vinhos de Portugal e  em particular dos alentejanos.

 

 

Premium 2012 da Vinícola Paulo Laureno

Um corte de Alicante Bouchet, Tricadeira e Aragonês. Vinho com aromas delicados e elegantes, com características não convencionais dados pelo corte de 100% de uvas nativas portuguêsas e que fogem aos padrões globais. 

Na boca apresenta-se um mentol agradável, muita acidez, tanino marcante com final à madeira, bem sêco e fresco. 

Vinho que pede uma comida, principalmente de pratos mais robustos.

 

 

Dona Maria Reserva Tinto 2008

Um vinho de custo baixo para o alto prazer que ele proporciona. 

Elaborado com as castas Alicante Bouchet, Syrah e Petit Verdot. 

Aromaticamente remete a sua passagem por barricas de carvalho, a fruta e a especiarias. 

Muito volume de boca, taninos marcantes, porém doces, um vinho robusto e redondo. Como o anterior ele pede para ser acompanhante de uma comida.

 

 

A Feira dos Alentejanos

 

Destaque para dois brancos do Paulo Laureano: Primium Branco 2013 das uvas Arinto, Antão Vaz e Fernão Pirez de alta acidez de preço acessível (R$68,00) e perfeito para acompanhar frutos do mar, quer presentes em um rizzoto quer presentes em uma "pasta". Do mesmo produtor o seu branco Reserva de 100% Antão Vaz é de uma elegância e frescor surpreendentes e deve cescer ainda mais quando saboreado com um peixe mais goduroso ou com um bacalhau. Um vinho de R$87,00.  

 

 

Ainda entre os brancos, o Cartuxa 2013 da vinícola Eugenio de Almeida, resultado do corte de Antão Vaz, Perrum e Roupeiro, é um vinho de muito charme e que por minha própria experiência  assenta como uma luva com uma "pasta" ao pesto. Parece um tanto esquisito, mas a harmonização é perfeita, vale a pena exprimentar, principalmente ao custo de R$56,00.

 

 

Dos tintos em exposição, pontificou o Julio B Bastos Alicante Bouchet 2004. Sua composição é de 100% do assim chamado Alicante Bouchet. A cêpa foi trazida para Portugal pelos Bastos há mais de 150 anos como sendo Alicante Bouchet, porém, assim como aconteceu com a Carmenère em relação ao Merlot no Chile, acredita-se não ser realmente um Alicante mas uma uva parecida cujos eno-ancestrais ainda estão sendo investivados pela vinícola. Um vinho inusitado, diferente do que se apresenta nos vinhos portuguêses.

 

 

Outro tinto de nota foi o Zambuzeiro 2009. Um corte de Touriga Nacional, Alicante Bouchet e Petit Verdot. Vinho para comparar-se aos grandes Bordeaux até no seu preço R$519,00.

 

 

 

Para saber mais 

 

 

 

 

O português Rui Falcão, renomado crítico de vinhos, comentou vinhos de algumas das principais vinícolas da região que lidera o mercado de vinhos em Portugal: Adega de Borba, Cartuxa – Fundação Eugénio de Almeida, Casa Agrícola HMR – Vidigueira Wine Lands, Cortes de Cima, Enoforum – Carmim Group, Ervideira, Dona Maria – Júlio Bastos, Herdade da Ajuda Nova, Herdade dos Coelheiros, Herdade do Esporão, Herdade do Mouchão, Herdade do Peso, J. Portugal Ramos, Monte da Capela, Outeiro de São Romão, Paulo Laureano Vinus, Quinta do Zambujeiro, Roquevale, Santa Vitória e Tapada do Fidalgo.

 

“O evento, organizado pela Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA), é a oportunidade de apreciar a personalidade dos representativos rótulos do Alentejo e ‘degustar’ toda a história e cultura do local. Além disso, queremos reforçar o posicionamento dos Vinhos do Alentejo no mercado de São Paulo, que reúne uma enorme quantidade de empórios, lojas e restaurantes”, explica Dora Simõespresidente da CVRA que vem ao Brasil exclusivamente para o evento.

 

Em 2013, foram importados no Brasil 2.618.000 litros de vinhos alentejanos, o que representou um aumento de 12% em relação ao ano anterior. “O Brasil se identifica bastante com os vinhos do Alentejo. Por isso apoiamos ações como a degustação realizada em São Paulo, comunicando sempre o que diferencia os vinhos do Alentejo de todos os demais. Muitos no Brasil já reconhecem essa diferença, mas queremos levar essa mensagem a mais e mais consumidores”, complementa Dora Simões.

 

Alentejo: a melhor região vinícola do mundo para visitar

 

A fama da região do Alentejo não conhece fronteiras. O jornal norte-americano USA Today, elegeu o Alentejo como a melhor região vinícola do mundo para visitar. “Esta intrigante região rural é como uma viagem de volta no tempo para os amantes do vinho”, escreve. “O terreno diverso detém olivais e vinhas, aldeias pitorescas, prados cheios de flores e florestas”, continua o jornal de maior circulação nos Estados Unidos. “É uma distinção importante para o Alentejo e para Portugal, que tem impacto muito positivo no potencial de notoriedade que a região pode obter nos mercados internacionais”, conclui Dora Simões.

 

CVRA - Comissão Vitivinícola Regional Alentejana

 

A Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA) foi criada em 1989 e é um organismo de direito privado e utilidade pública que certifica os vinhos DOC Alentejo e os vinhos Regional Alentejano. É responsável pela promoção dos Vinhos do Alentejo, no mercado português e em mercados-alvo internacionais. Sua atividade é financiada através da venda dos selos de certificação que integram os contrarrótulos dos Vinhos do Alentejo. Para mais informação visite: www.vinhosdoalentejo.pt.

 





Sobre o vinho e gastronomia Anúncie Segurança e Privacidade Trabalhe na V&G Comunicar Erros Redes Sociais Fale Conosco