http://vinhoegastronomia.com.br/userfiles/93e048c28deae8015adbfe8c96fbefa9.jpg


Promoções

http://vinhoegastronomia.com.br/userfiles/434f3e7f97922e2f13bb52752bc86f56.jpg








Enoblogs - blogs unidos pelo vinho

Vinhos do Uruguay: consistência e qualidade

O Uruguay vem apresentando vinhos de grande qualidade e consistência e não sou eu quem diz, mas Steven Spurrier, o britânico que inventou aquela célebre competição em Paris entre vinhos californianos e franceses. Os vinhos uruguaios são consistentes na qualidade e excepcionais no quesito relação preço qualidade. Neste ponto, nuestros hermanos uruguayos são imbatíves, bons e baratos.

A Wines of Uruguay organizou uma degustação para jornalistas e sommeliers e pudemos comprovar que eles conseguiram domar a tannat – essa casta rica em tanicidade (entenda-se muita adstringência, mas também muito resveratrol, o antioxidante que combate o câncer e doenças cardíacas) e que no passado exigia muito tempo de envelhecimento para amaciar sua rusticidade. Os tannat que vêm chegando do Uruguay apresentam vigor, sim, mas já não perdem a ternura: são elegantes, finos e chegam prontos ao Brasil. Os preços? De R$40 a R$160 os mais caros, e estejam certos, entregam mais qualidade.
Mas não é só a tannat: nesta degustação pudemos comprovar que eles sabem fazer belos vinhos com a torrontés, sauvignon blanc e albariño! Seus cortes de tannat com cabernet sauvignon são elegantes, saborosos e finos, resultados de investimento em equipamento e viagens a Austrália, Califórnia e Bordeaux.

 A tannat é uma casta que apresenta 50% mais de capacidade antioxidante, portanto juma taça de tannat vale por duas de cabernet sauvignon do ponto de vista de saúde.  

A destacar os vinhos da vinícola Gimenez Mendez de masrta Mendez Parodi, presidenta da Wines of Uruguay. Seu Gimenez Mendez Las Brujas Sauvignon Blanc 2009 é muito fresco e saboroso (R$35) e seu Identity 2008, um corte de tannat, syrah e petit verdot é uma beleza de vinho: complexo no nariz, frutado no palato de boa acidez, fino e equilibrado. Por R$65, importação da Hannover. Seu Luis A. Gimenez Tannat Super Premium 2006 é segundo Michel Rolland, o melhor tannat uruguaio: frutado, redondo, de longa persistência R$160.

Da Pisano destaco seu Rio de los Pajaros Torrontés 2010 com uvas de La Rioja, aroma típico e delicado, elegante e sem passagem em madeira e sem excessos de perfumes por US$21. Seu RPF Tannat 2006 é um vinho potente, fino e elegante, com 9 meses em madeira, delicioso por US$27,90, importação da Mistral. E para os amantes de chocolates, o Exte Oneko 2007, um vinho licoroso fortificado, 100% tannat e 6 meses em barrica com aromas inebriantes de brownie, chocolate, um excelente substituto do Banyuls (US$56,90).

Da Pizzorno, destaco seu Don Próspero Sauvignon Blanc 2009 (R$38) e o Pizzorno Tinto Reserva 2006, corte de tannat, cabernet e merlot, um vinhaço elegante, complexo, delicioso e de taninos finos e looonga persistência por R$87, importação da Grand Cru.

Da Bodegas Carrau, além do Tannat Amat 2005 que é um belo vinho, complexo de aromas, toque animal e passagem por 12 m em barrica francesa e mais 6m em garrafa (R$122) e que eu costumo ter na minha adega pessoal, recomendo o Tannat Reserva Juan carrau 2007, um vinho delicioso, complexo, pleno de nuances e sutilezas, frutas negras, e mineralidade,  redondo, fino e elegante, grande persistência por R$52, importação da Zahil.

Da Castillo Viejo destaco o Catamayor Tannat reserva 2008, um vinho frutado, macio com aromas de café, delicioso e vibrante por R$47, importação da World Wine.


A De Lucca tem dois belos vinhos brancos: Sauvignon Blanc Reserva 2006 (R$41) e Marsanne Reserva 2008, frutado,agradável, fresco e gastronômico por R$41 e o Rio Colorado 2006, redondo e macio por R$135, importação da Premium.

Da Stagnari destaco três bons vinhos: Cabernet Sauvignon 1x1 2008 saborosíssimo, redondo, macio, bons taninos, aromas de especiarias por R$80; o Tannat Premier 2009 com aromas de cassis, frutado, redondo, o tannat de melhor relação preço qualidade R$35, importação da Cantu. E o Tannat Viejo 2007 com passagem em madeira, complexo, redondo, muito saboroso por R$56.

 

Traversa trouxe um Tannat Roble Traversa 2007, corte de tannat e merlot com 8m de barrica, saboroso por R$32, importação da Mr. Man.

Bouza trouxe um Albariño 2010 delicioso por R$80 e um Tempranillo B15 Parcela única 2008 por R$150, deliciosos e importados pela Decanter.

E da Varela Zarranz destaco o Tannat Crianza 2007 com toques de chocolate, redondo, delicioso por R$45 e sem importador.

O evento aconteceu no hotel Renassaince com a organização prestimosa de Cristina Neves.

Vinhos do Uruguay: consistência e qualidade
Vinhos do Uruguay: consistência e qualidade
Array
Vinhos do Uruguay: consistência e qualidade
Array
Vinhos do Uruguay: consistência e qualidade
Array
Vinhos do Uruguay: consistência e qualidade
Array
Vinhos do Uruguay: consistência e qualidade
Array
Vinhos do Uruguay: consistência e qualidade
Array
Vinhos do Uruguay: consistência e qualidade




Sobre o vinho e gastronomia Anúncie Segurança e Privacidade Trabalhe na V&G Comunicar Erros Redes Sociais Fale Conosco