http://vinhoegastronomia.com.br/userfiles/93e048c28deae8015adbfe8c96fbefa9.jpg


Promoções

http://vinhoegastronomia.com.br/userfiles/0ebfed7b22d146d4cabdd13b7eb9dafc.jpg








Enoblogs - blogs unidos pelo vinho

Cafeteira Eletrolux

Café com estilo e praticidade

 

Por Silvia Cintra Franco


 
Sabe aquela estória de avô rico, filho nobre e neto pobre? Bem lá em casa, com o crack da Bolsa de Nova York, minha mãe, que devia ser a filha nobre de grande fazendeiro de café, passou direto para a etapa seguinte. Trabalhou a vida inteira como química, formada pelas primeiras turmas da USP. Mas o crack da Bolsa não lhe tirou o essencial: o gosto por um bom cafezinho.


 
E dos cafezais e amplos terraços de café secando ao sol, o que nos ficou é que café é assunto muito sério. Era café de coador, mas sempre fresco: fazia-se para o almoço a quantidade exata de café. Se alguém quisesse mais uma xícara, começava tudo de novo: duas colheres cheias de café para cada dois dedos de água, era a medida. Xícaras escaldadas em água quente, água filtrada. Café fresco era fundamental.


 
A Eletrolux lançou uma linha de cafeteiras cheias de estilo e sofisticação que mantém a qualidade e a praticidade. E há uma que realça os aromas! O lançamento contou com um workshop da jornalista Giuliana Bastos, autora do Dicionário Gastronômico do Café com suas Receitas.

 
 
E como recordar é viver, foi um prazer recordar os ensinamentos da minha mãe: café só o de melhor qualidade, água filtrada (ou mineral, melhor ainda), xícaras escaldadas em água quente e café fresco sempre. O pó guardado em frasco hermético e escuro, pois o café - como o vinho - oxida, mas à diferença do vinho, não envelhece com elegância e nem com qualidade. Comprar, pois, café em pequenas quantidades para não envelhecer. Não guardar na geladeira (este princípio eu tinha esquecido!)


 
Giuliana Bastos revelou o que muitos de nós já suspeitávamos: o café disponível no mercado brasileiro é de péssima qualidade. O bom vai para exportação, embora hoje já existam à venda café de qualidade superior e premium nas prateleiras dos mercados.

 

E revelou que o café – geralmente um blend de grãos - quanto mais tiver a variedade arábica , menos cafeína; a variedade robusta garante duas vezes mais cafeína e um gosto residual de remédio. Em suma, o bom café é naturalmente adocicado.


 
Minha paixão pelo café resultou em uma pequena coleção de cafeteiras: uma francesa, uma italiana que vai ao fogo, além da expressa e um moinho para moer os grãos de café. Mas decidi testar a estilosa cafeteira Eletrolux com filtro de papel, jarra de vidro temperado que pode ir ao micro-ondas e sistema corta-pingos, que permite retirar a jarra da base antes mesmo de que todo o café seja coado.

 

Fiz o teste drive: perfeita a cafeteira, perfeito o café!

 

E é com uma taça de café de cafeteira Eletrolux aqui ao meu lado que escrevo este artigo. Êta cafezinho bom!
 

 

Serviço
 

Cafeteira Chef CMC60 para 5 a 10 cafezinhos R$99,90.

Cafeteira Chef CMC40 para até 27 com timer para programar o preparo do café com 24 horas de antecedência e desligamento automático em 120 minutos. Intensificador de aroma e jarra de vidro temperado.  R$159,90.

Cafeteira Chef CMC50 para até 30 cafezinhos. Com função de desligamento automático após 10 minutos, jarra térmica de inox, sistema corta-pingos. Tem por diferencial a função Aroma que deixa o café mais intenso, além do Timer. Acabamento em aço escovado. R$229,90.

Chaleira Elétrica EKC10 para chás com capacidade de 1,5l. Jarra independente da base, função de desligamento e filtro de impurezas e com botão de abertura da tampa por segurança. Acabamento em aço escovado. R$199,90.

 





Sobre o vinho e gastronomia Anúncie Segurança e Privacidade Trabalhe na V&G Comunicar Erros Redes Sociais Fale Conosco