http://vinhoegastronomia.com.br/userfiles/93e048c28deae8015adbfe8c96fbefa9.jpg


Promoções

http://vinhoegastronomia.com.br/userfiles/81a6bd2859116450ce925de6225d8f1b.jpg




Enoblogs - blogs unidos pelo vinho


Os Brunellos da Sonoma

 

Por Guto Martinez

 

A Toscana possui diversos vinhos entre os maiores ícones do mundo, mas poucos atraem tanta atenção quanto a jovem DOCG de Brunello di Montalcino, uma invenção do século passado de Ferruccio Biondi Santi que só virou Denominação de Origem em 1966, e passou ao status de "ícone" principalmente após os anos 80.

 

A fama é justificável: o Brunello di Montalcino é um vinho difícil de elaborar, feito com 100% da variedade Sangiovese Grosso, um clone especial da Sangiovese também chamado Brunello. Deve amadurecer por mais tempo do que os demais vinhos italianos: são quatro no Brunello comum, dois deles em carvalho e dois afinando em garrafa, e cinco anos no caso do Riserva, sendo dois anos e meio em carvalho e o restante engarrafado.

 

Alguns produtores oferecem o Rosso di Montalcino, chamado por alguns de "baby Brunello", uma vez que se trata de um vinho mais simples feito na mesma região e com a mesma uva - mas sem passar pelo mesmo tempo de envelhecimento, ou às vezes por usar uvas cuja qualidade não é considerada suficiente para virar Brunello. É um vinho que já pode ser considerado excelente, mas muitas vezes mais simples e próximo do paladar dos enófilos que não podem encarar os preços elevados que são necessários para comprar um desejado Brunello.

 

O que faz este vinho ser tão cultuado, sendo capaz de atrair qualquer enófilo ao seu encontro apenas à menção de seu nome? A maioria dos produtores é unânime: é uma questão de terroir. A variedade Sangiovese, que dá origem a diversos outros vinhos, tem na região de Montalcino a combinação ideal de calor para o amadurecimento da uva, inclinação do solo para escoamento da água, clima seco e ventilado no ponto que acabam por permitir a uva expressar ao máximo seu potencial.

 

A região, contudo, assiste a um crescimento na produção, o que resulta em vinhos de qualidades muito específicas, sendo que diversos especialistas já começam a falar em subdivisões. Uma das mais claras é a que traça uma linha na vila de Montalcino, buscando características típicas dos vinhos produzidos mais ao norte, e outras naqueles do sul. Uma degustação de alguns produtores já mostra: o norte é mais marcado pelas nuances tostadas e pela discrição, e os sulistas são mais frutados e exuberantes.

 

Apesar dessas distinções regionais, normalmente o vinho tem outro fator preponderante: o clima, que acaba por ditar a qualidade da uva em relação à concentração de açúcar, produtividade, entre outros. O Consorzio Brunello di Montalcino, associação dos mais de 300 produtores que é responsável pelo controle de qualidade dos vinhos da DOCG, mantém uma classificação anual da qualidade dos vinhos, uma mostra de que o interesse é pela produção geral, e não por microclimas - comuns dentro de todas as regiões demarcadas.

 

Como o melhor é sempre saber quais as características específicas de cada vinho, a importadora Sonoma organizou uma degustação com alguns especialistas na qual foram degustados exemplares de seis produtores, sendo que alguns tinham safras de dois anos para mostrar a distinção. Vamos a eles!

 

Notas de Degustação

 

Pertimali

 

Casa liderada por Livio Sasseti, é um dos produtores mais prestigiados internacionalmente, contando com uma produção orgânica.

 

Rosso di Montalcino 2014

Um vinho de acidez vibrante, possui aroma frutado com folhas secas. Persistência média com taninos bem trabalhados, é um vinho muito agradável na boca.

 

Brunello di Montalcino 2011

Resultado de um ano mais chuvoso, mostra aromas marcadamente frutados e florais, com exuberância. Um vinho já pronto para ser bebido.

 

Brunello di Montalcino 2012

O clima mais quente e seco deste ano resultou num vinho mais cítrico, com a boca mais séria. Ótimo para guardar por mais alguns anos.

 

Ciacci Piccolomini D'Aragona

 

Um dos mais famosos produtores da sub-região de Castelnuovo Dell'Abate, o produtor que descende do Papa Pio II (Francis Piccolomini), produz na região desde 1920, sendo 25 hectares dedicados aos Brunellos.

 

Brunello di Montalcino 2011

Simplesmente vibrante. Pronto para beber, é bastante completo, com equilíbrio de flores e frutas frescas no nariz, e uma acidez quase elétrica.

 

Brunello di Montalcino 2012

Aromas igualmente inebriantes, mas com floral ligeiramente mais marcante. Possui maior potencial para a guarda.

 

Tenuta di Collosorbo

 

Vizinho da Ciacci Piccolomini, é um dos favoritos do importador. A equipe, formada 100% por mulheres lideradas por Giovanna Ciacci, faz um dos melhores Brunellos da porção sul.

 

Rosso di Montalcino

Este exemplar mostra claramente a razão deste ser chamado "baby Brunello". Um vinho delicioso, muito redondo, com aromas frutados temperados por especiarias doces (cravo, canela). A boca é muito viva e intensa.

 

Brunello di Montalcino 2012

A exuberância aqui está presente, mas de uma forma um pouco mais contida. Sua elegância alcançou 85 pontos para o avaliador James Suckling.

 

Brunello di Montalcino 2013

A safra recém lançada mostra todo o vigor da sua juventude, com aromas impactantes. Se conseguir, a guarda fará muito bem a este vinho.

 

Baricci

 

Membro fundador do Consorzio di Montalcino, tem produção minúscula (14 mil garrafas anuais) que é feita de maneira artesanal pela família do patriarca Nello Baricci. Único produto com 100% das terras localizadas em Montosoli, o Cru mais famoso da região (e o mesmo de Biondi Santi).

 

Brunello di Montalcino 2012

Um vinho apaixonante, que mostra com as notas frutadas algum envelhecimento (figos secos), e uma boca carnuda, que lembra um tomate ligeiramente adocicado. Apaixonante, este vinho está praticamente esgotado - as últimas 100 garrafas foram importadas pela Sonoma!

 

Capanna

 

Outro membro original do Consorzio, este vinho se destaca pela sua excelente acidez e potencial de guarda - é um dos mais longevos, chegando a atingir o ápice aos 15 anos ou mais.

 

Brunello di Montalcino 2012

Potente, traz uma sensação mais seca e tânica que os demais, o que justifica sua longevidade. Tem uma nota balsâmica, trufada, que o faz único.

 

Cava D'Onice

 

Um produtor relativamente recente que reúne o conhecimento de uma família tradicional - o fundador, Simone Nanneti, é filho do winemaker da Frescobaldi por 33 anos, tendo passado pela Constanti e Caparzo também. Utiliza parcelas de 8 subregiões de Montalcino, e segue a produção orgânica.

 

Brunello di Montalcino 2012

Os aromas se mostraram apaixonantes. Frutas maduras, rosas, especiarias, unidas a uma nota quase caramelada. Segue uma linha de vinhos mais "modernos", com uma sensação alcoólica mais marcante, o que o deixa sedoso e quente. Pode ser guardado, mas parece mais pronto para beber agora que os demais.

 

Com tantas opções de um dos vinhos mais apaixonantes, o melhor é correr para o site da Sonoma (www.sonoma.com.br) e escolher quais vão povoar sua adega.

 





Sobre o vinho e gastronomia Anúncie Segurança e Privacidade Trabalhe na V&G Comunicar Erros Redes Sociais Fale Conosco